Como manter a temperatura ideal no interior das habitações

Nos últimos dias temos assistido a uma vaga de calor. De acordo com um estudo recente apresentado pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) a temperatura média em Portugal tem aumentado nos últimos 70 anos em resultado nas alterações climáticas.
Os efeitos destas alterações têm sido sentidos, perante verões cada vez mais quentes e secos.
Como efeito, as nossas casas estão mais quentes.
A temperatura recomendada e confortável para o ser humano no interior das habitações situa-se entre os 21ºC e os 25ºC. No verão é recomendável que o ambiente se mantenha perto dos 25ºC, uma vez que é importante é evitar grandes diferenças entre as temperaturas interior e a da rua.
Mas manter a temperatura dentro deste intervalo requer de nós alguns cuidados.
A exposição solar, o tipo de materiais de construção aplicados, os sombreamentos e proteções solares, a envolvente etc, têm um papel fundamental no controlo da temperatura interior.
A imposição legal de garantir que as novas construções e reconstruções apresentem uma determinada classificação energética veio melhorar a temperatura e qualidade do ar no interior das habitações, mas existem as construções anteriores e as isentas da normativa e essas requerem um olhar mais cuidado.
Normalmente a primeira coisa em que pensamos para arrefecer uma casa é nos equipamentos de climatização, mas existem outros fatores a ter em conta nomeadamente fatores passivos e comportamentais, fatores estes bem eficientes que não devemos descurar.
De forma simples podemos dividir os fatores em 3 tipos:
• Comportamentais
• Materiais
• Equipamentos

 -Comportamentais

Como em quase tudo a prevenção é extremamente importante. Se conseguirmos evitar que o calor entre dentro de casa poupamos na energia necessária para a arrefecer.
A utilização correta dos dispositivos de proteção solar é importantíssima, sobretudo para o nosso clima.
Nos dias mais quentes e sobretudo nas horas de maior exposição solar, devemos ativar os dispositivos de proteção dos vãos. Manter as janelas, portadas ou persianas fechadas evita o sobreaquecimento do ambiente.
Por outro lado, quando a temperatura exterior é inferior á interior, ou seja logo de manhã ou ao final do dia, é aconselhável abrir os vãos de forma a permitir o arrefecimento natural e circulação de ar.
Estes são pequenos gestos, que podem fazer toda a diferença.

 -Materiais

Os materiais utilizados na construção são importantíssimos. O coeficiente de transmissão térmica do material é o indicador da “permeabilidade à temperatura”, ou “condução térmica” desse material e tem uma importância enorme no controlo da temperatura interior.
A inércia térmica do edifício é igualmente importante. Mas quando o edifício já se encontra construído há pequenas alterações que podem significar mais conforto e menos consumo energético com climatização.
Usar lâmpadas LED por exemplo. Além de produzir muitíssimo menos calor que as incandescentes, são mais económicas. Em alternativa as lâmpadas fluorescentes são também uma boa opção
Utilizar vidros refletores. Se a exposição de um vão for francamente excessiva, a utilização deste tipo de vidros impede a passagem da radiação reduzindo muito a entrada de calor. Para o nosso clima, esta pode ser uma solução tão ou mais eficaz que a utilização de um equipamento como ar condicionado. Existem, no entanto, algumas desvantagens, nomeadamente a menor entrada de luz o custo do próprio vidro.

 -Equipamentos

Para além dos fatores acima indicados existem depois os sistemas mais conhecidos.
Os Ventiladores ou ventoinhas são os sistemas mais utilizados, que apesar de não produzirem frio nem baixarem a temperatura, agitam o ar dando a sensação de que está menos calor.

O ar condicionado que é um equipamento que produz ar frio. No entanto, para se retirar o melhor rendimento deste equipamento, deve adequar-se a sua potência à área da divisão onde está instalado e respeitar as regras de manutenção.

Mas para além da temperatura não podemos esquecer outro indicador que influencia o ambiente que é a humidade. Assim, além do intervalo de temperaturas acima referido, manter o ambiente entre os 50 e os 60 por cento de humidade é também uma forma de garantir um ambiente confortável e saudável no interior das nossas casas.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Modelo-imagem-autor_1-edited-1.png

Susana Sobreira
Engª Civil – Perito Qualificado ADENE

Partilhar artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk
Share on tumblr
Share on digg
Share on skype
Share on whatsapp
Share on email

Compare listings

Comparar
× Olá, podemos ajudar? Available from 10:00 to 19:00