A importância do Home Staging

Quando um imóvel entra no mercado, ele vai ser exposto e por esse motivo deve ser preparado para despertar interesse e ser apetecível aos olhos de quem se encontra comprador. A preparação do imóvel é fundamental para quem quer vender rápido e ao melhor preço.
Boas fotografias, um espaço limpo e organizado, um ambiente tranquilo e acolhedor para as visitas sejam elas, presenciais ou virtuais, irá certamente fazer toda a diferença.
É desta necessidade que surge o Home Staging.
Apesar de ser uma técnica já muito frequente em mercados mais “maduros” como é o caso dos Estados Unidos, onde este conceito surgiu na década de 70, só mais recentemente o Home Staging passou a assumir um papel de relevo no mercado português.
Ora de uma forma sucinta, esta técnica consiste como o nome indica, em criar na habitação/casa (home) uma encenação (staging) de forma a tornar o imóvel mais atractivo, aumentar o interesse de potenciais compradores e consequentemente também as possibilidades de venda desse imóvel.
Dados estatísticos apontam mesmo que existe uma valorização do preço do imóvel em cerca de 7 % a 15% relativamente ao seu preço inicial. Não restam dúvidas de que esta é uma técnica todos os consultores imobiliários devem ter em consideração.
Existem actualmente profissionais e empresas já especializados nestes serviços, e apesar de muitas vezes serem vistos como mais uma despesa na hora de vender, podem de facto tornar-se um investimento uma vez que na grande maioria das vezes essa despesa tem um período de retorno muito rápido.
Ainda assim, aqui ficam algumas dicas básicas de alguns especialistas que devemos ter em consideração.
Limpeza/arrumação – no momento de mostrar a casa tudo deve estar impecável para causar boa impressão. As divisões limpas e organizadas, com todos os objectos arrumados nos locais próprios para o efeito.
Pequenas reparações – todos os itens que necessitem de manutenção ou reparação devem ser previamente revistos. Canalizações, puxadores, estores, etc. Mesmo que impliquem custos de reaparição reduzidos, são motivo dissuasor para um potencial comprador por implicar encargos acrescidos.
Mas para além dos conselhos básicos, existem técnicas que podem ser aplicadas, nomeadamente:
Despersonalização – ao entrar num espaço mais neutro e sem muitos bem pessoais à vista, o potencial comprador tem mais facilidade em se imaginar a viver lá dentro.
Neutralização dos espaços – uma decoração com uma ampla gama de cores ou muito colorida e carregada, pode tornar o espaço mais agressivo. Por outro lado, para além de ser uma questão de gosto muito pessoal, normalmente acaba por fazer os espaços parecerem mais pequenos.
Tamanho e disposição da mobília – é frequente encontrar muitas vezes casas decoradas com móveis de tamanhos desajustados para o espaço disponível. Ora o tamanho da mobília, e a sua disposição, causar também uma perceção errada do espaço, por isso algumas pequenas mudanças podem fazer milagres.
Têxteis – é talvez a forma mais económica e rápida de conseguir mudar o aspeto de uma casa. Cortinas, almofadas, tapetes de cores neutras, acompanhados de um ou outro pormenor ou apontamento decorativo podem mudar tudo no ambiente.
Plantas – a par com os têxteis, é outra das formas de alterar o aspecto de uma casa conferindo-lhe um ambiente fresco, confortável e acolhedor.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Modelo-imagem-autor_1-edited-1.png

Susana Sobreira

Partilhar artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk
Share on tumblr
Share on digg
Share on skype
Share on whatsapp
Share on email

Compare listings

Comparar
× Olá, podemos ajudar? Available from 10:00 to 19:00