Como está a tua vinha?

Comprei uma vinha meio abandonada em finais de verão. Apesar do estado em que se encontrava existiam alguns cachos. Deu para aproveitar, pelo menos algumas. Estavam lá, a mão de semear, foi só apanhar. Porque não?

Tinha decidido abandonar a minha antiga profissão e abraçar esta. O meu futuro estava aqui. Apostei as fichas todas e não colocava outra hipótese senão ganhar a vida por aqui.

Alguém antes já tinha por aqui andado, se calhar esporadicamente, sem grande atenção mas acabou por abandonar pois não via o potencial. Eu vi, eu acreditei.

Investi na minha formação, se não procurasse ser especialista como poderia tirar o melhor que esta vinha tinha para dar?

Contratei pessoas que me ajudaram a fazer melhor o meu trabalho, impossível fazer tudo sozinho.

Tive de comprar um trator e outras alfaias pois cuidar desta vinha é uma atividade que exige ferramentas.

Delineei um plano. Podar, limpar, lavrar a terra, sulfatar. Estas e outras tantas tarefas que me obrigam a dedicar os meus dias, as minhas semanas e os meses a cuidar da minha querida vinha. Sem o labor contínuo, qual a probabilidade de chegar ao sucesso da colheita? Algum? Talvez. A sorte também acontece. Mas nada como fazer tudo bem, nos momentos certos, na altura que a vinha “pede”, para garantir que a colheita será garantida.

Na verdade, escrevi sobre a vinha mas pensei no trabalho do consultor imobiliário. Quantas semelhanças!! É incrível.

A tua vinha é a tua zona de posicionamento. Tens 1000 videiras, serão 1000 famílias às quais tens de dar atenção.

Tens de cuidar e olhar para elas ao longo do tempo de forma contínua? Sem dúvida. É um labor de médio longo prazo que tem de ser feito com gosto e com carinho pois de outra forma resultará em abandono e a colheita será fraca.

Investir em formação? Sem dúvida!! Deves ser conhecedor da forma de tirar o máximo potencial da tua zona, se não conheces o ambiente e os sinais, se não sabes o que fazer para tratares da tua zona, trata de aprender.

Investir em ferramentas. Além de precisares de carro, um telemóvel e portátil existem outras ferramentas em que precisas investir. Cartões de visita, medidor de áreas, placas de vende, uma pasta para andares sempre com as minutas de trabalho, fichas visita, contratos de mediação, propostas de compra, o teu caderno de apresentação pessoal, onde fala de ti, do grupo que representas e da marca onde trabalhas.

Para além destas ferramentas base, deves ter um plano anual das acções na tua zona de posicionamento.

Nem todos os clientes conhecem a realidade onde estás inserido e os apoios com que contas no dia-a-dia. Utiliza e valoriza a tua marca e a equipa que te apoia, com ajuda da tua equipa e apoio da estrutura certamente obterás melhores resultados.

Havendo regularidade aumenta a proximidade

Muito havia a dizer acerca deste tema, mas aqui ficam algumas breves dicas:

Estar presente todos os dias

Nem que sejam 30 minutos. Nem que não digas nada no início, não faz mal. Andando identificado com crachá/polo as pessoas vão acabar por te conhecer.

Consumir na tua zona de posicionamento.

Se já tomas um café de manhã ou à tarde, porque não lá? Se tens de levar algumas coisas do supermercado que faltam em casa, leva da mercearia que está perto. Observa o comércio que lá existe e envolve-te e participa.

Dá-te a conhecer

São inúmeros os itens que podes distribuir. As grandes marcas do ramo alimentar, e não só, continuam a deixar revistas e jornais nas caixas de correio. Faz o mesmo!

Marca a tua presença e acrescenta conteúdo e informação

Podes informar de um imóvel novo em venda. Nunca se sabe quando precisam de mudar. Podes informar de uma venda que realizaste, um prémio que conquistaste. Podes distribuir a receita do teu prato preferido, um flyer com a história ou curiosidade, da origem de uma rua, praça ou jardim. Usa a tua imaginação.

Mima os teus clientes

Uma ou mais vezes por ano podes distribuir uns blocos personalizados. Quem não tem na cozinha um bloco para ir apontando as compras que faltam em casa?

Um postal de Natal a desejar boas festas e um ano feliz. Quantos não gostariam de o receber? E se fores sabendo o nome das pessoas que lá vivem e conseguires ainda deixar personalizado ….WOW.

Uma caneta, certamente lhe darão uso e o teu nome estará sempre à mão.

Os itens de pouco valor monetário, para divulgação da tua marca que podem ser usados e guardados, são muitos.

Planeia as acções e o investimento que terás de fazer. Não é muito em relação ao retorno que garantidamente terás. Mas não tens colheita sem investimento.

Importante também é ires medindo de onde vêm os teus contactos.

Observa também a reacção das pessoas às tuas acções de promoção pessoal. Isto é proximidade, isto é ganhar empatia, isto é mostrar-se disponível para ajudar.

Existe um intervalo de tempo ideal para impactares a tua zona de posicionamento e nunca se esquecerem da tua presença, quem és e o que fazes.

Cria um plano com ação com impacto de periodicidade de 21 em 21 dias.

Imagina se cumprires o plano durante um ano. Vais ficar muito surpreendido com o resultado.

Muitos já investem no Facebook, Instagram e para chegar a muitas pessoas, mas quantos estão disponíveis para investir o seu tempo e dedicação na sua VINHA? Especialmente quem inicia esta atividade, é uma estratégia a considerar e uma excelente forma de alavancar o seu negócio.

ACREDITA, APOSTA, INSISTE E NÃO DESISTAS. A COLHEITA VAI SER MARAVILHOSA.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Modelo-imagem-autor_5.png

João Paulo Sobreira – Administrador Grupo Visão

Partilhar artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk
Share on tumblr
Share on digg
Share on skype
Share on whatsapp
Share on email

Compare listings

Comparar
× Olá, podemos ajudar? Available from 10:00 to 19:00